Skatista fica nervoso ao levar mordida de cachorro, pede desculpas e sua atitude viraliza

O curitibano Marcelo Ribeiro, administrador do portal HypeScience e skatista na horas vagas, fez uma publicação no domingo passado, 30, dizendo que havia sido mordido por um cachorro durante um momento de lazer no Parque Barigui, em Curitiba, Paraná.

No entanto, a mensagem não se tratava de uma condenação à agressão do cachorro ou ofensas contra sua dona, mas um pedido de desculpas dele por conta de sua reação ao acontecido.

Marcelo começa a mensagem dizendo “À moça cujo cão me mordeu: me desculpe”.

O post rapidamente viralizou no Facebook, alcançando aproximadamente 1,2 milhão de pessoas com 45 mil compartilhamentos e 63 mil reações.

Na publicação, Marcelo conta que estava andando de skate no parque quando passou ao lado de um cachorro, que estava preso à uma guia segurada por sua dona (cuja identidade não foi revelada).

Subitamente, o cão mordeu a coxa de Marcelo em uma reação instintiva.

“Você fez tudo certo, tudo o que poderia. A situação era totalmente imprevisível. Cachorros são literalmente lobos domesticados e teu animalzinho estava agindo como um lobo protegendo a prole.

A minha, quando a levo ao parque, tenta matar os pássaros. Já conseguiu, uma vez.”

Ao final do texto, o rapaz pede que as pessoas compartilhassem o post, de modo que ele possa de alguma forma chegar até a dona.

“Pra você que não é a moça do cachorro que me mordeu: adoraria se compartilhasse esse link em todos os grupos de cães e adoção de Curitiba que conheça.”

Seu pedido foi prontamente atendido, com milhares de internautas compartilhando, comentando e passando sua mensagem adiante. Resta saber se a “moça do cachorro” foi uma das mais de 1,2 milhão de pessoas impactadas pelo texto.

Marcelo também compartilhou sua mensagem num portal de informações sobre sustentabilidade, meio ambiente, ciência e vida animal que mantém há alguns anos, que você pode conhecer clicando aqui.

Role para baixo para ler a mensagem na íntegra. Você também pode clicar na publicação original para compartilhá-la com seus amigos!

“À moça cujo cão me mordeu no Barigui neste sábado, me desculpe. Não sei seu nome, não vi o seu rosto. Estava furioso para prestar atenção.

Mas me desculpe quando eu disse que seu cachorro era perigoso; ele provavelmente não é. Me desculpe por ter dito que ele devia usar mordaça; ele possivelmente não precisa.

Falei estas coisas de maneira agressiva, me desculpe. Foi a dor da mordida. A irritação mental. Eu ainda não havia raciocinado sobre o ocorrido.

Clique na seta amarela abaixo, após a publicidade, para continuar lendo.

PRÓXIMA PÁGINA
1 / 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *